Simone Tebet poderá conquistar a prefeitura de São Paulo em 2024!

A senadora Simone Tebet ( MDB), foi a mais aplaudida na Sala São Paulo, ao discursar e receber o Troféu Raça Negra no dia 21/11/2022 - Foto: Facebook divulgação


Texto escrito pelo jornalista Walter Brito

Tal qual ocorreu ontem, domingo, 18/12/2022, vencer é sempre estratégico e complexo. Falando da final da Copa do Mundo, quando a Argentina sagrou-se campeã, o Messi coroado como o melhor jogador do mundo e Mbappé saiu fortalecido aos 23 anos e preparado para permanecer no topo do futebol mundial por muito tempo, quiçá por mais três Copas e até tornar-se tricampeão pelo seu país como Pelé foi pelo Brasil. Claro, vencer e tornar-se protagonista de uma nação é para poucos e em qualquer setor: Na educação, no mundo da cultura, na administração pública e privada, no esporte ou no mundo espiritual, entre outros. Não precisa só ter sorte e acreditar que o destino se encarrega, Maktub!

Mandela - Creative Commons
Nelson Mandela é o símbolo de líder de sucesso no Planeta Terra. Ele esteve no Brasil pela primeira vez em 1991. Nesta ocasião participamos de uma homenagem a Madiba no Estado do Espírito Santo - Foto: Wikipedia commons


Obviamente é necessário um conjunto de fatores, entre os quais o preparo, muito trabalho, determinação, sabedoria, fé em Deus e acreditar que somos capazes. A partir daí é que surgem os grandes líderes em qualquer lugar do mundo como Gandhi, Nelson Mandela, Barack Obama, Emmanuel Macron, entre outros. Aqui no nosso Brasil, tal qual o jurista Ruy Barbosa, o escritor Jorge Amado, a escritora e guerreira Carolina Maria de Jesus, o sambista e compositor Cartola, o atleta do século Pelé, Irmã Dulce e Chico Xavier, o líder empresarial Antônio Ermírio de Moraes, o ex-presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa, os líderes políticos Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek de Oliveira, Lula da Silva, Brizola, Ulysses Guimarães, entre outros.

Lula e Janja assistiram à estreia do Brasil contra a            Sérvia na Copa do Mundo em casa, em São Paulo — Foto: Ricardo            Stuckert
Janja e Lula assistiram ao primeiro jogo da Seleção Brasileira no CCBB em Brasília. Esta semana o filho de dona Lindu decidirá o destino de Simone Tebet - Foto: Ricardo Stuckert


A eleição mais importante dos últimos 50 anos e mais acirrada de nossa história mostrou claro no dia 30/10/2022, que Luiz Inácio Lula da Silva é um líder inconteste e recebeu autorização do povo brasileiro para colocar o nosso país onde merecemos e entre as seis grandes potências do planeta. Que o presidente Lula lute efetivamente pela educação e oportunidades de trabalho igual para todos os segmentos sociais, todas as etnias e que favoreça as novas gerações. E mais, aos que já deram sua contribuição ao país é fundamental que tenham uma renda básica mínima para envelhecer com dignidade.

Na foto, a secretária da cultura de São Paulo, Aline Torres, a senadora Simone Tebet e este jornalista Walter Brito, durante o evento: " Troféu Raça Negra" na Sala São Paulo no dia 21 de novembro, por ocasião da Semana da Consciência Negra


Neste contexto é fundamental e premente a preparação de líderes para o futuro, independentemente de ter que ser da sigla do presidente que está no poder. Neste sentido, surgiu no debate da eleição presidencial o nome da senadora sul mato grossense Simone Tebet do MDB que obteve 5 milhões de votos para a Presidência da República, sem o apoio efetivo de seu partido, mas num momento em que nos últimos três anos enfrentamos a Pandemia da Covid-19, quando perdemos 692 mil irmãs e irmãos e ainda não acabou, sendo milhares de pessoas contaminadas e centenas perdem suas vidas diariamente em nosso país.

Vale lembrar que a mulher tornou-se a psicóloga da maioria das famílias enlutadas, pois o homem não tem a mesma força do sexo feminino no momento de perda repentina de um ente querido. Esta mesma mulher na alta pandemia, quando o seu companheiro perdeu o emprego, diminuiu efetivamente seus ganhos ou sua empresa faliu, foi ela quem ajudou a levar comida para casa, se reinventando como diarista, salgadeira, cabeleireira, manicure, cuidadora de idosos, enfermeira e outras funções no serviço público e na iniciativa privada.

Simone Tebet entrou pra valer na campanha de Lula da Silva. Segundo o cientista político Juvenil Coelho, o trio: Simone, Brizola e Vargas, foram os únicos que transferiram votos para presidente da República no Brasil - Foto: Ricardo Stuckert


Estas guerreiras seguraram firme nas mãos de seus parceiros e muitas vezes sozinhas mantiveram seus lares. Talvez por isso Simone como mãe de família e sensível com as questões sociais no Brasil tenha representado tão bem o protagonismo da mulher na campanha presidencial, principalmente a mulher negra, cuja etnia perdeu 70% dos que morreram na pandemia.

É importante ressaltar que só no Estado de São Paulo a senadora Simone Tebet obteve 1/3 de seus votos e boa parte nas favelas, onde o povo negro é maioria. A terceira colocada na disputa presidencial obteve no Estado de São Paulo 1.625.596, correspondentes a 6,34% dos votos de paulistas e paulistanos.

Na cidade de São Paulo foram 558.748 votos, o que corresponde a 8,11%. A senadora foi votada nos 645 municípios do Estado de São Paulo, sendo a votação mais expressiva na capital e a de menor expressão na cidade de nome Flora Rica, quando foi votada por 27 eleitores. No interior do Estado de São Paulo a sua votação variou entre 2% e 10,65%. Veja abaixo em ordem decrescente o percentual de Simone em 79 dos 645 municípios do interior paulista. Estes são municípios em que a ex-presidenciável obteve percentuais entre 10, 65% e 6%. Nos demais municípios não publicados, ela obteve entre 6% e 2%.

São os seguintes municípios:

1) Lagoinha - 10,65%,
2) Caetano do Sul - 9,42%,
3) Salesópolis - 8, 28%,
4) Quadra - 8%,
5) Santo André - 7,80%,
6) São Bento do Sapucaí - 7,80%,
7) Jundiaí - 7,64%,
8) Santos - 7,58,
9) Santo Antônio do Pinhal - 7,55%,
10) São Roque - 7,53%,
11) Mogi das Cruzes - 7,52%,
12) Santa Branca - 7,32%,
13) Cotia - 7,31%,
14) Jacareí - 7,22%,
15) Guaratinguetá - 7,16%,
16) Ilha Solteira - 7, 08%,
17) Atibaia - 7,04%,
18) Ibiúna - 7,01%,
19) Piracaia - 7,01%,
20) São Bernardo do Campo - 7%,
21) Botucatu - 6,98%,
22) Osasco - 6,97%,
23) Monte Alegre do Sul - 6,94,
24) Silveiras - 6,92%,
25) Vargem Grande Paulista - 6,92%,
26) Ribeirão Pires - 6,91%,
27) Igaratá - 6,87%,
28) São Lourenço da Serra - 6,85%,
29) Aparecida - 6,84%,
30) São Carlos - 6,81%,
31) Valinhos - 6,81%,
32) Campos do Jordão - 6,78%,
33) Mandari - 6,77%,
34) Vinhedo - 6,68%,
35) Biritiba Mirim - 6,67%,
36) São José dos Campos - 6,65%,
37) São Miguel Arcanjo - 6,61%,
38) Alumínio - 6,61%,
39) Taboão da Serra - 6,57%,
40) Ribeirão Grande - 6,56%,
41) Redenção da Serra -6, 56%,
42) Indaiatuba - 6,55%,
43) Itatiba, 6,55%,
44) Nova Canaã Paulista - 6,52%,
45) Moções - 6, 51%,
46) Mairinquete - 6,50%,
47) Tambaú - 6,49%,
48) Águas da Prata - 6,49%,
49) Tremembé -6, 45%,
50) Suzano - 6,41%,
51) Águas de São Pedro - 6,41%,
52) Descalvado - 6,39%,
53) Taubaté - 6, 39%,
54) Santo Antônio - 6,39%,
55) Jardim - 6,37%,
56) Lorena - 6,37%,
57) Monte Alegre do Sul - 6,32%,
58) Carolina - 6,30,
59) Porto Ferreira - 6,30%,
60) Parnaíba - 6,28%,
61) Espírito Santo do Espinhal - 6,26%,
62) Altinópolis - 6,25%,
63) Poá - 6,23%,
64) Barueri - 6,18%,
65) Carambataí - 6,15%,
66) Roseira - 6,11%,
67) Tietê - 6,11%,
68) Nazaré Paulista - 6,10,
69) Santa Rita do Passa Quatro - 6,10%,
70) Turmalina - 6,10%,
71) Dourado - 6 07%,
72) Araraquara - 6,03%,
73) Pindamonhangaba - 6,03%,
74) Capão Bonito - 6,01%,
75) Itapetinga - 6,01%,
76) Analândia - 6,01%,
77) Serra Dourada - 6%,
78) Jambeiro - 6%
79) Serra Negra - 6%.

O cientista político Juvenil Coelho, ao lado da estátua da da Madrinha Eunice no bairro da Liberdade em São Paulo. A Madrinha Eunice foi a primeira madrinha de uma Escola de Samba em São Paulo e no Brasil


Como se vê, a senadora Simone Tebet ( MDB), se a eleição fosse hoje, ela já teria cacife para disputar a eleição para o governo de São Paulo, mas como só teremos eleições em 2024 e para prefeito, certamente ela poderá disputar a eleição na quarta cidade do planeta Terra e com possibilidades de vencer.

A reportagem entrevistou o cientista político Juvenil Carvalho, proprietário do Instituto de Pesquisas Phoenix, há quatro décadas com escritório em São Paulo, Brasília, Norte e Nordeste do país. Ele disse: "Estou na política há mais de 40 anos, e transferir votos para a Presidência da República é efetivamente uma missão quase impossível. Entretanto, existem três fenômenos no Brasil: 'A transferência de Getúlio Vargas para Gaspar Dutra em 1945, a transferência de votos do Brizola no segundo turno da eleição de 1989 para Lula no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul e a transferência dos votos de Simone Tebet no Brasil inteiro para Lula, sendo no Estado de São Paulo, de acordo minhas análises de pesquisas qualitativas e quantitativas, no segundo turno ela transferiu mais de 80% de seus votos mo interior do Estado e na capital ela transferiu 100% e ainda conseguiu mais votos para o Lula, além do que ela teve para si.

A Simone foi de fato a musa da pandemia nas eleições de 2022, quando a mulher foi a protagonista. Além disso, o voto das favelas de São Paulo e o do povo menos favorecido cuja maioria pertence à comunidade negra ela conquistou os segmentos da comunidade negra que não votava em Lula. Se a assessoria da senadora sul mato grossense fizer uma pesquisa mais aprofundada em São Paulo, ela certamente vai transferir o seu domicílio eleitoral para São Paulo, onde ela tem todas as possibilidades de se eleger em 2024", disse o cientista político Juvenil Coelho.

Na foto, quatro homenageadas com o Troféu Raça Negra: a deputada federal Benedita da Silva, a professora Neilda Fabiano, a ex-presidenta Dilma Rousseff e a administradora de empresas Sônia Silva. Esta foi nossa entrevistada abaixo


Entrevistamos também na cidade de São Paulo a primeira aluna da Universidade Zumbi dos Palmares em São Paulo, a administradora de empresas Sônia Silva, uma das 22 mulheres agraciadas com o Troféu Raça Negra no megaevento ocorrido na Sala São Paulo, no dia 21 de novembro de 2022, com cerca de 2 mil convidados. Junto com Sônia foram agraciadas mulheres que contribuíram com a causa negra tais como Simone Tebet, Dilma Rousseff, Benedita da Silva, Luíza Trajano (Magazine Luíza), Graça Machel, única mulher no planeta que foi primeira -dama de dois países, pois foi casada com Samora Machel, ex-presidente de Moçambique e Nelson Mandela, saudoso presidente da África do Sul.

Sônia disse: "Fiquei muito feliz ao receber o Troféu Raça Negra ao lado da admirável Simone Tebet. Acredito que o presidente Lula terá a sensibilidade de nomeá-la esta semana para o Ministério do Desenvolvimento Social, pois ela é comprometida com a prosperidade do Brasil, com os menos favorecidos, onde o povo negro é maioria. Uma sociedade igualitária se dá com a elevação da renda mínima, a assistência alimentar e nutricional. Desta forma teremos uma sociedade igualitária e justa. A Simone é a pessoa talhada para esta pasta", argumentou Sônia Silva.

Na foto, os amigos Eduardo Matarazzo Suplicy e Carla Severiano. Ele foi o deputado estadual mais votado em São Paulo com 807 mil votos. Ela é presidente do Conselho de Ética das Favelas do Brasil e entrevistada para esta matéria abaixo


Conseguimos falar por último com a ativista da causa negra Carla Severiano, que morou por 15 anos na África, e mora atualmente em São Paulo. Ela é presidente do Conselho de Ética das Favelas do Brasil, e afirmou: "Estive recentemente com a assessoria da Simone Tebet em Brasília, mas não consegui encontrá-la. Eu e boa parte das favelas de São Paulo e do Brasil apoiamos a Simone para presidente. Se ela não for nomeada para o Ministério do Desenvolvimento Social, espero que se mude para São Paulo, onde ela inclusive tem apartamento no Guarujá. Aqui vamos elegê-la prefeita em 2024.

Sabemos que o Kassab e a cúpula do PSD têm muita simpatia por ela. Caso ela continue sem o apoio efetivo do MDB, certamente hoje ela tem muitos partidos precisando de uma política que será importante no Brasil do futuro", concluiu Carla Severiano.

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB