Mais de 25% da população mundial estará no Metaverso até 2026

Saiba como diferentes profissões serão impactadas por essas plataformas




Já pensou como seria viver dentro de um mundo virtual, podendo interagir com outras pessoas, ir ao cinema, viajar pelo mundo, participar dos principais eventos de moda e até trabalhar em um ambiente corporativo sem sair de casa?  Quando a internet surgiu, não se imaginava o oceano azul de oportunidades apresentadas aos profissionais da tecnologia. Hoje, é o Metaverso quem bate à porta. E até 2026, de acordo com a Gartner Group, mais de 25% da população mundial estará nesta plataforma, que servirá para a criação de aplicativos e ferramentas de interação social em uma nova fase da web. Até 2030, segundo dados da Metaverse and Money, o Metaverso movimentará mundialmente US$13 trilhões de dólares.

Mas o que é o Metaverso e por que agora é a melhor hora de prestarmos atenção neste mundo digital? "Eles são plataformas virtuais que replicam o mundo real. Falo 'são' porque não existe apenas um Metaverso e sim vários. Precisamos prestar atenção agora pois é inevitável, em muito pouco tempo, esses Metaversos substituirem diversas atividades que fazemos no nosso dia a dia pela internet", explica o professor Marcel Cohn, coordenador do curso de pós-graduação em Metaverso do Centro Universitário IESB, primeira instituição de ensino do Brasil a oferecer cursos de pós-graduação em Metaverso 100% dentro da plataforma. "Já existem estudos que demonstram que os Metaversos substituirão nossas redes sociais. Portanto, logo, a forma mais efetiva de conhecer pessoas, conversar com elas, saber notícias e novidades será dentro dessas plataformas", completa o professor.

Transformação também no e-commerce, as chamadas vendas on-line. De acordo com Marcel, atualmente, já é possível fazer vendas de produtos ou serviços dentro do Metaverso, como ter uma loja em um terreno na plataforma e, através dela, oferecer produtos e serviços na vida real. Outra grande migração de atividade para este mundo virtual é a das reuniões on-line, as populares calls. "Os recursos que os Metaversos possibilitam estão tornando as reuniões on-line mais produtivas e com maior possibilidade de entendimento dos tópicos a serem discutidos", explica o especialista.

Neste cenário, Marcel reforça que todas as áreas que desejam ter uma presença on-line serão impactadas por essas plataformas e, nos próximos três anos, será impossível fugir de explorar as novas possibilidades que o Metaverso proporciona. "Quando me fazem essa pergunta eu pego alguns exemplos do mercado de trabalho. O engenheiro, por exemplo, será impactado através das tecnologias utilizadas conjuntamente com o Metaverso, como a realidade aumentada e a virtual. Por meio delas, é possível fazer projeções de maquetes e plantas de forma remota e ter uma reunião on-line demonstrando esses projetos, conjuntamente para a melhoria dos trabalhos a serem apresentados pelos clientes. Já os estudantes de advocacia podem simular audiências com situações reais dentro do Metaverso, preparando melhor para a vida real quando essas situações venham a acontecer. Os médicos também poderão, dentro do Metaverso, através da tecnologia de realidade aumentada, compartilhar diagnósticos e trabalharem juntos para curar doenças que hoje ainda são desconhecidas", explica o especialista.

Oportunidade de capacitação
De acordo com o professor Marcel, a melhor forma de se preparar para os Metaversos é entrando neles. "Muitos acreditam que somente pode fazer parte do Metaverso quem possui óculos de realidade virtual, mas isso não é verdade. Hoje em dia, para fazer parte de um Metaverso precisamos apenas de um tablet, computador ou celular e uma conexão de internet", orienta o professor Marcel ao reforçar ainda a importância da capacitação para essas plataformas. "O Centro Universitário IESB possui dois cursos que ensinam Metaverso dentro do Metaverso. E mais: somos a primeira instituição de ensino brasileira a oferecer aulas 100% práticas e dentro do Metaverso", explica.

No portfólio do IESB, são dois cursos ofertados: um de qualificação profissional, de 20 horas, chamado Metaverso e suas aplicabilidades, destinado a profissionais e estudantes de qualquer área, sem necessidade de experiência ou habilidade, que buscam aprofundar os seus conhecimentos sobre mídias imersivas. O curso será realizado nos dias 13/9 - abertura com 2 horas – e nos dias 15, 20, 22, 27, 29 de setembro e 4 de outubro, sempre das 19h às 22h.

Outra oportunidade de capacitação oferecida pelo IESB é a pós-graduação em Metaverso e Disrupção Digital, com duração de 12 meses e foco na formação de gestores do Futuro. "Neste curso, iremos ensinar, não apenas sobre Metaverso, mas sobre as principais tecnologias que existem hoje e são utilizadas para uma melhor gestão, produtividade e resultados empresariais", explica o professor Marcel.

O curso é ideal para profissionais graduados em qualquer área do conhecimento e que queiram desenvolver modelos de negócios disruptivos para suas empresas ou startups, usando tecnologias como realidade virtual, internet das coisas, inteligência artificial, blockchain, ciência de dados, entre outras, aplicando metodologias ágeis e as chamadas soft skills. Na grade curricular, o estudante vai aprender sobre Modelos de Negócios Disruptivos; Fintechs e Novos Negócios; Planejamento Estratégico Digital; Lean Startup; Design Thinking; Realidade Aumentada; Realidade Virtual; Gamificação; Smart City; Inteligência Artificial e IoT; Chatbot e Machine Learning; Blockchain; e Big Data. Mais informações no link: https://www.iesb.br/cursos/metaverso-e-disrupcao-digital/

Edilayne Martins

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postagem Anterior Próxima Postagem
BRB