Lula defende ciência, inovação e educação para reduzir a pobreza

Projeto de nação não pode renunciar aos compromissos com a democracia, o desenvolvimento econômico, educacional, científico e tecnológico e a inclusão


Foto: Renato Santos.

Em discurso na manhã de hoje, 28, durante visita à 74ª Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou o legado das gestões petistas na área, lamentou o apagão científico provocado pelo atual governo e sinalizou ações para um eventual novo mandato, no qual a pesquisa científica, a inovação e a educação serão prioridades e alavancas para solução de problemas como a pobreza e a desindustrialização.

"Estou certo de que seremos capazes de fazer com que a pesquisa científica, a inovação e a educação sejam colocadas novamente no centro das questões nacionais. Que elas sejam revalorizadas como alavancas para o crescimento econômico, a reindustrialização do país e a redução da pobreza, buscando uma economia ambientalmente sustentável e solidária", disse.

Lula destacou também que um projeto de nação capaz de enfrentar os desafios do tempo presente, rumo ao futuro, não pode renunciar aos compromissos com a democracia, o desenvolvimento econômico, educacional, científico e tecnológico, a inclusão social, a redução das assimetrias regionais e a pluralidade cultural.

"A soberania nacional e a defesa do meio ambiente devem caminhar juntas e orientadas para a ampliação da cidadania, do trabalho e da renda. O avanço nestes campos foi – e é – fruto de lutas e resistências das forças progressistas ao longo da nossa trajetória histórica, e, portanto, deve ser defendido e aprofundado".

Lula conclamou a sociedade a se mobilizar em defesa da Educação, da Ciência, Tecnologia e Inovação, do Meio Ambiente, dos Direitos Humanos, da Saúde e demais patrimônios da nação e a lutar pela preservação da vida, pela garantia da soberania e pela redução das desigualdades do país. "Convido a todos e a todas para o avanço na retomada do processo de desenvolvimento, numa perspectiva do uso dos recursos naturais com sustentabilidade e inclusão".

Em fala direta à comunidade científica, Lula afirmou que os investimentos para a área serão ampliados com destinação de parcela dos recursos do Fundo do Pré-Sal e sinalizou prioridades como reconstrução do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, fortalecimento do Conselho de Ciência e Tecnologia; realização da Quinta Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; recomposição e ampliação do Fomento de Ciência, Tecnologia e Inovação; recuperação e ampliação do orçamento do CNPq, da Finep e da Capes.  

"Vamos trabalhar para ampliar e melhorar a qualidade da educação em todos os níveis no Brasil, desde a educação básica à pós-graduação, passando por um Programa Emergencial de Inclusão e Reintegração Educacional para os jovens sem escola nos diferentes graus educacionais, com atenção prioritária à universalização da inclusão digital", disse, ressaltando também outras ações como estímulo à inovação no ambiente empresarial e à popularização e difusão da ciência.